Seis cidades do DF têm mortes zeradas no trânsito

No último ano, as ações integradas de engenharia, educação e fiscalização de trânsito de Detran-DF contribuíram para zerar o número de mortos nas vias urbanas de seis cidades do Distrito Federal: Águas Claras, Brazlândia, Jardim Botânico, SIA, Sudoeste e Lago Norte.

Além da redução de 35,6% no número de mortes nas vias administradas pelo Departamento de Trânsito em 2017, comparado a 2016, um levantamento feito pela Gerência de Estatística do Detran aponta, ainda, dez outras cidades em que houve redução significativa no número de óbitos no trânsito.

Na cidade de Santa Maria, por exemplo, a quantidade de vítimas fatais no trânsito caiu de nove, em 2016, para uma, em 2017, reduzindo em 89%. Em Sobradinho II, baixou de cinco mortes para uma, 80%, e Recanto das Emas, onde o número de mortos caiu de nove para três, 67%. As cidades do Riacho Fundo e de Vicente Pires apresentaram redução de 50% em ocorrências fatais, caindo de duas para uma morte.

O número de óbitos foi 40% menor em Brasília, que caiu de 33 para 20 vítimas e, em Ceilândia, de 25 para 15. Também houve redução da mortalidade no trânsito de Taguatinga, em 36%, caindo de 14 para nove mortes, em Planaltina, 25%, de cinco para quatro e, em Samambaia, 10%, reduzindo de dez para nove vítimas.

Em outras seis cidades do DF o número de pessoas que perderam a vida no trânsito, em 2017, foi maior que em 2016. Isso tem merecido atenção especial do Detran no que diz respeito ao planejamento e execução de ações de engenharia, educação e fiscalização de trânsito, no intuito de reverter a situação, garantindo maior segurança ao trânsito nas vias urbanas dessas cidades como Gama, São Sebastião, Sobradinho, Cruzeiro, Guará e SCIA.

No Gama, por exemplo, logo após o acidente que vitimou quatro pessoas, deixando uma ferida e três mortas, o Detran efetivou algumas ações como a instalação de barreira eletrônica para reduzir a velocidade e a realização de campanhas educativas naquela cidade. Na semana passada, novamente, equipes de educadores estiveram lá com a campanha “Ultrapasse, não passe”, que chama a atenção para a segurança dos ciclistas.

Segundo o diretor-geral do Detran, Silvain Fonseca, o mapeamento de acidentes por via e por cidade é uma ferramenta muito importante para que o órgão possa planejar suas ações específicas em cada local, com foco na preservação de vidas.

Deixe uma resposta