Longas filas ainda marcam postos de combustíveis no DF

As longas filas para abastecer os carros continuam a se formar nos postos de combustíveis do Distrito Federal. O medo de ficar sem combustível faz com que os brasilienses corram em busca de gasolina e etanol. Segundo a Polícia Militar, ao menos 86 caminhões-tanques foram escoltados pela corporação e distribuídos em diversas regiões administrativas, nesta terça-feira (29).

O auxiliar administrativo Rogério Pereira, 43 anos, procurou combustível em três postos diferentes: sendo dois no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) e outro na Estrutural. “As filas estavam enormes, só que quando eu chegava perto de abastecer, diziam que não tinha mais gasolina”, lamentou. A solução foi andar até a Asa Sul, onde trabalha, e tentar pela quarta vez.

No momento em que a reportagem esteve no posto da 215 sul, Rogério aguardava na fila há cerca de trinta minutos. “Vai demorar mesmo, mas aqui está melhor”, pontua. A expectativa é de encher o tanque quando for atendido. “Semana passada eu tinha combustível, então não fiz questão de completar. Agora que estou com o tanque vazio, mesmo andando pouco, vou completar por segurança”, afirma.

Calma ao decidir enfrentar a fila

Conforme o site Jornal de Brasília mostrou ontem, a presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e de Lubrificantes do Distrito Federal (Sindicombustíveis-DF), Elisa Shcmitt alertou para os motoristas que estão abastecendo mais do que o necessário. “Pessoas que estão querendo abastecer com o meio tanque ainda completo acabam prejudicando as filas. Precisamos de mais calma na hora de decidir sair de casa e ficar na espera. Isso é o que pedimos para melhorar a agilidade do abastecimento”, aponta.

Ainda segundo Elisa, a expectativa era de que a situação normalizasse de domingo para segunda-feira (28). “Mas estamos com a variação de 18% a 27% na porcentagem de álcool anidro dentro da mistura da gasolina que é vendida. Atualmente, estamos com o mínimo exigido pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), que é 18%”, complementa.

No domingo (27), o Sindicombustíveis havia confirmado a redução de 27% para 21% no teor de álcool anidro misturado à gasolina.

Peregrinação atrás de abastecimento

A corretora de imóveis Tathyane Albuquerque, 40, andou mais de 30 quilômetros em busca de um posto que tivesse o combustível. Ela mora em Santa Maria e encontrou gasolina em um posto da Asa Sul. “Moro em Santa Maria e vim para Asa Sul, nem trabalho aqui perto. Vim só por conta da gasolina. As filas em Santa Maria estão enormes. Tenho amigos que ficaram de quatro a cinco horas esperando. Em comparação com Santa Maria, aqui está bem melhor. ”, diz. Tathyane aguardava há trinta minutos.

Por precaução, ela preferiu levar um galão para, também, encher no posto. “Não sei se vão colocar, mas trouxe. Sinto que está normalizando o abastecimento, mas a gente ainda fica apreensivo, porque não dá para ficar sem gasolina”, comenta.

Na semana passada, a corretora optou por andar a pé até os lugares em que era possível. “Fui andando, de bicicleta, tudo para não gastar o combustível. Mas essa semana não dá, tive que vir para o Plano Piloto e minha gasolina acabou. Já estou na reserva”, completa.

“Pago o preço que for”

Com medo, os brasilienses enfrentam as filas e, muitas vezes, não sabem nem o valor que os postos cobram na bomba. A jornalista Suzana Alves Caetano, 42, ocupava a última posição da fila no posto da 215 sul, o único na região que tinha combustível.

“Se for R$ 10 eu vou pagar, porque não tem outra alternativa. Claro que isso nos assusta. Ficamos apreensivos. Está tudo mais caro, fui fazer compra no verdurão e alguns itens ficaram mais caros. Então se é esse que tem, é esse que vou ter que comprar”, aponta. No posto, a gasolina era vendida por R$ 4,99.

Confira as cidades que receberam combustível hoje

1 – Asa Sul e Asa norte

2 – Asa Norte e Samambaia

3 – Cruzeiro e Samambaia

4 – Sudoeste

5 – Setor de Indústria e Abastecimento

6 – Setor Gráfico

7- Candangolândia e Rec. Das Emas

8 – Ceilândia

9 – Planaltina

10 – Taguatinga e Metropolitana

11 – Samambaia

12 – Taguatinga

13 – Ceilândia e Brasília

14 – Asa Sul/Norte e Sobradinho

15 – Asa Sul

16 – Águas Claras

17 – Granja do Torto

18- Taguatinga Sul e Norte

19- Setor Hoteleiro Norte e Taguatinga

20- Samambaia

21- Sobradinho

22- Taguatinga

23- Paranoá e São Sebastião

24- Guará e Taguatinga,

25- Asa Sul e Norte, Guará e Núcleo Bandeirante

26- Samambaia Sul e Norte

27- Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo e Samambaia

28- Lago Sul

29- Samambaia Sul

Deixe uma resposta